A 2ª edição do Rally Mulheres do Agro entrevistou a CEO da startup Bart Digital, Mariana Bonora, na sede da Revista Agrícola em Londrina

Bruno Rigo/Revista Agrícola

A Bart Digital é uma empresa que fundamenta seus trabalhos a partir de plataformas de créditos e ativos agrícolas. As ferramentas que a startup dispõem são a ‘Solo’ e a ‘Ativus’, que buscam amparar o agricultor nas atividades financeiras. O lançamento da primeira ocorreu no ano passado, no congresso da Andav, já a segunda foi instituída no início de 2020.

 

SOLO
A ‘Solo’ surgiu de algumas parcerias que a empresa já havia formado. O objetivo dela é claro e específico: “ser uma plataforma para todos os serviços do agro, principalmente com a análise de crédito e risco de lavoura”, afirma Mariana, que complementa dizendo que a ferramenta vem crescendo bastante, pois era o que o mercado estava precisando.
A CEO comenta que a Solo pode ser utilizada por qualquer empresa do país que conceda créditos agrícolas e foi pensada para distribuidoras e cooperativas, mas “temos clientes que são indústrias e fundos de investimentos; eles podem adequar a plataforma para a utilização”, completa.

 

ATIVUS
A nova plataforma da empresa Bart Digital foi lançada em fevereiro de 2020 e tem o objetivo de emitir e registrar CPR’s eletrônicos dos títulos agrícolas. A ideia era disponibilizá-lo em fase de teste para alguns clientes e parceiros mais próximos e prosseguir com esse sistema até junho ou julho. Porém, a pandemia mudou os planejamentos da startup: “com o fechamento de algumas empresas presenciais e o isolamento social, optamos por disponibilizá-lo para o público em geral”, expõe Mariana.

 

“Desafio Covid-19: soluções digitais para o agronegócio”

A difusão de novas ferramentas para o agricultor rural em meio à pandemia do novo coronavírus vem sendo amparado por algumas empresas rurais, de crédito e startups. Com isso, algumas dessas entidades lançaram o desafio ‘Desafio Covid-19: soluções digitais para o agronegócio’, que contou com a participação da Bart Digital, uma das vencedoras da proposta. Mariana expõe que lançou a plataforma antes mesmo do início da difusão da Covid-19, “fomos convidados a participar do desafio, porque já éramos parceiros dessas empresas que o desenvolveram”.
Segundo a CEO da Bart Digital, o principal benefício do desafio proposto pelas empresas do agronegócio é dar visibilidade e fomentar o agricultor a utilizar plataformas digitais que o ajudem a passar por esse período, com o distanciamento social, “nós temos soluções facilitadas para o produtor, temos algumas quantias de CPR´s que foram disponibilizadas sem custo. Mas o mais importante é dar visibilidade para não travar os negócios dos produtores”.

 

A ATUAÇÃO DA MULHER NO AGRO
Mariana Bonora comenta que a questão da mulher no campo ou fora dele é muito importante, nos dias de hoje “a mulher vem sendo reconhecida e ocupando lugares no mercado de trabalho, mas não gosto de focar em mulheres em papel de liderança, pois fortalece uma segregação. Creio que há muitas delas nesses lugares, o que me faz sentir representada; chegar em uma reunião e ver que não há uma maioria masculina na mesa, me faz feliz, porque consigo me espelhar nesses outros exemplos”.
Segundo a CEO da Bart Digital, ainda há uma diferença na proporção entre homens e mulheres nos negócios, mas acredita que a tendência e chegar a um equilíbrio em breve, já que a mulher tem ideias diferentes que agregam muito no conjunto.

 

A 2ª Edição do Rally Mulheres do Agro, conta com o patrocínio de grandes empresas do agro, como BASF, HELM DO BRASIL, SIMBIOSE e Grupo VALUE